quinta-feira, outubro 27, 2005

Ida às Couves

É em dia não é que me ponho a pensar, o que é raro (ao contrário de muitos rumores, eu não passo o tempo a matutar em coisas).

É certo que hoje é um dia NÃO em grande, não é pelo tempo, que isso já pouco interessa.
A confrontação com todas estas coisas faz-me acreditar em tudo aquilo que me faz passar da cabeça. É como quando uma pessoa vai ao Hiper ( já em si uma tarefa ingrata, pois a vontade de lá ir é como retirar pedras renais ou fazer uma retroescopia)
Todo o processo é ingrato, a luz é má, os corredores são angustiantes, mas é uma tarefa que tem de ser feita.
Pior de tudo é quando não estamos demasiados conscientes e começamos a justificar alguns acontecimentos... qualquer coisa começa a incomodar por exemplo, quando encontarmos aqueles casais que são insuportáveis e terminam todas as palavras em INHO. " Amorzinho, queres Carninha ou peixinho? ... podes ir buscar o leitinho? ...e eu vou ali para perto dos suminhos... " AAAAARGGGH... ainda bem que não é comigo ... pois não aguentaria muitos INHOS, e partiria imediatamente para a violência física. Logo... por consequência ficaria sem companheiro.

Também nos hipers há um fenómeno que me irrita, as promotoras, toneladas delas cada uma a fazer camapanha eleitoral com o seu pulpito de amostras, com os variados produtos.... Tudo em niniatura, irra que ficam chateadas se não queremos os produtos que promovem e muito menos quando não queremos o copinho ou a argolinha de plastico devidamente identificada com a marca. Pior se digo ... "desculpe, não como Carne, por isso esses patés... não me interessam"
Escandalizada... desloca o olhar de cima abaixo reprovativo. ( Eu não entendo, deixo mais carne para os outros comerem?!!!deviam ao menos de estar agradecidos...)

Quando me desloco à zona do pão, aí é que tenho a agonia... há sempre aquele sujeito(a) que pega no saco de pão bolinha de mistura quente com aquela aparência de fofinho e estaladiço e esmaga para verificar se está mesmo estaladiço ou não. O pior é que quando o pão já não é bolinha fofa, já é uma chapata... ele larga o saco e leva outro, pois já percebeu que aquele panito já era... claro que depois alguém acabará por levar aquele resto de pão amassado. Coisa que apetece é ir esfregar a merda da chapata na boca ...e obriga-lo a levar aquela bela merda.

Pior mesmo é só quando estamos perto de ir embora e visualizamos a fila menor para pagar e saír dali o mais rápidamente possível, a dos velhinhos ... é melhor não... ainda estão a chegar à conclusão do passo que vão dar , se devagar ou devagarinho... e claro escolhemos a outra Caixa... Linda, Iluminada, mas logo quando escolhemos percebemos que aquela fila se era pequena é porque de certeza é problemática... e é mesmo ...é daquela em que os produtos não passam, ou o seu preço está errado e o raio da patimnadora está perdida na área do leitinho à procura das frandas DODOT que estão em promoção.
E o que se faz?.... Espera-se... e muito........ o som incomodativo dos ruídos alheios das caixas registradoras começa a atingir a mente provocando aquela dor de cabeça aguda( e quero fumar um c igarro e não posso... pronto, cigarro não dá mas e um café?) e tudo já é um ambiente supra saturado, nota-se tudo,
...e o que quero mesmo é que a PORRA da menina de 5 anos pare de gritar ou será guinchar, pois está a fazer birra descomunal porque o Papá é mau porque não levou o elevador da Barbie (Este ignora por completo, como se ela fosse uma soprano e o som até é agradabilíssimo) , a mãe (a má da fita porque é ela que obriga a comer a bosta dos bróculos) vai olhando para as pessoas com aquele ar de reprovação a todos os que a rodeiam e achem que estão a ser incomodados por aquele acontecimento " Não Gosta de crianças, é? Que Horror... não viu que é pequena... é um bebé!"
Foda-se!!! ...o pior não é o facto de Não gostar de Crianças ... é de NÂO suportar BIRRAS esganiçadas estúpidas de puro consumismo!

E tarda em chegar a minha vez de pagar... ainda nem sequer tirei as coisas do cesto, que já está farto de ser pontapeado pela minha biqueira, e os velhotes da fila ao lado (que chegaram depois de mim, no passo paradinho.. que gozei) já devem estar a chegar a paragem de autocarro todos contentes que levam as bolinhas de naftalina para colocar em tudo que é sítio!
Baaahhhh! Coisa sofrida esta de comprar couves e cenouras em grandes superfícies!

2 comentários:

Sumares disse...

Mas porquê que te metes nisso? Porque não fazes as compritas na mercearia dos velhinhos mais simpáticos lá do bairro?

Kat disse...

Tens razão! o facto é Já que estou aqui no shopping. Mas Acabou-se. A mercearia é minha amiga