terça-feira, novembro 09, 2010

Amores de catraia


A série "O Pequeno urso Misha" é baseada no Misha, a mascote dos Jogos Olímpicos de Moscovo de 1980. O Misha foi desenhado pelo ilustrador de livros infantis Victor Chizhikov. A série Japonesa foi produzida em 1979 para promover a mascote. O animé foi criado por Shoji Sato e realizado por Yoshimichi Nitta.







Letra
De um país distante chegou,
uma carta para ti.
Se a sacudo soa tal
como a felicidade.


Quando a contemplo à luz,
vejo-a como uma sombra.
Oiça-se como vai dizendo a canção.


Vamo-nos, vamo-nos para esse país,
vamos a bailar e a desfrutar sem fim.
Vamo-nos, Vamo-nos não há nada melhor,
que a vida vivida com amor.


Lai, lai, lai, lai, lai, lai.
Se me segues serás feliz.


Meu amigo Misha
Hoje o sol nasce p'ra ti.

sexta-feira, agosto 20, 2010

Tal e que tal e tal.


 Retrato manipulado de uma menina senhora moça traquina que mais dia menos dia revela que é o que tem.

segunda-feira, agosto 02, 2010

Beijos de boca

Não usa o registo melodramático. Apenas deixa fluir o sentimento, sem o uso da razão aparente. Culturalmente induzida, emocionalmente diligente. Olha em tom de amor seu redor como se tratasse de um caleidoscópio, infinito.

terça-feira, maio 04, 2010

Espiga-te, estamos em Maio


Tradicionalmente, de manhã cedo, rapazes e raparigas vão para o campo apanhar a espiga e outras flores campestres.
Com elas, formam um ramo com: espigas de trigo, folhagem de oliveira, malmequeres e papoilas. O ramo pode também incluir centeio, cevada, aveia, margaridas, pampilhos, etc

Cada elemento simboliza um desejo:
- A espiga = que haja pão (isto é, que nunca falte comida, que haja abundância em cada lar)
- O ramo de folhas de oliveira = que haja paz (lembra-te que a pomba da paz traz no bico um ramo de oliveira) e que nunca falte a luz (divina). (Dantes as pessoas alumiavam-se com lamparinas de azeite, e o azeite faz-se com as azeitonas, que são o fruto da oliveira.)

- Flores (malmequeres, papoilas, etc.) = que haja alegria (simbolizada pela cor das flores - o malmequer ainda «traz» ouro e prata, a papoila «traz» amor e vida e o alecrim «traz» saúde e força).


Quinta-feira da espiga: 
É celebrado no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. O ramo é guardado ao longo de um ano, até ao Dia de Espiga do ano seguinte, pendurado algures dentro de casa.

terça-feira, abril 27, 2010

Cantigas d' Amor e Amigo

O trovador passa, vassalo da mensagem de benesses de calor, paixão, escárnio e maldizer. 
"Não chove, companheiro" trauteia sem pudor!

segunda-feira, abril 26, 2010

quarta-feira, abril 21, 2010

Padrão gratuito

Dá-me limonada e groselha na tarde que se aproxima, fui fazer o tratamento aos dentes. Quero estraga-los de mimos açucarados antes que seja tarde.

terça-feira, abril 20, 2010

segunda-feira, abril 12, 2010

Apetecia-me algo, tomei liberdade em pensar-me

Há um sonho recorrente que tenho: Começa sempre com uma tarde de calor, estou em casa muito descansada a beber gostoso vinho gelado e olho TV sem prestar a atenção devida, depois das notícias corriqueiras, passo a canal nacional sem lá para a zona dos salões sem direito a zapping. 
Serei fútil ou informativa?
Tenho publicidade controlada?
Provedor ou Time Share?
Sou canal ou programa?
Penso-me até acordar.


Belles Belles Belles

"O beijos daquele moço são como vasos de buganvílias em flor" pensou enquanto distraidamente entornava a gemada fresca, que a avó cedo preparara, sobre o vestido primaveril cortado na modista, segundo o que dizia na revista que iria ser tendência da época do calor. 
Não a impediu de forrar a sua mala com recados para ele e duas fotos de ocasião a recordar em caso de esquecimento momentâneo, é tonta mas, sincera. Seguir em modo de três pulinhos e um compasso para a secretária muda, cheia de gente em redor.


sexta-feira, abril 02, 2010

O baixo ventre de cascalho nobre

Pouco sei de neerlandês, para além de um meridional próspero normativo de variedade verbal soterrada em miscelâneas linguísticas e imaginários de propaganda. Mas, gosta da sedução das socas amarelas com moinhos pintados e de um sujeitinho com depósito legal familiar.

quinta-feira, abril 01, 2010

Vai passar a Páscoa,

no meio de andorinhas e andorinhos, com três garrafas de tinto DOC e um folar fofinho de Valpaços. A confeitaria fica a cargo do açúcar nas variadíssimas formas, começamos com beijinhos e depois subimos a fasquia.

segunda-feira, março 22, 2010

Diz que é uma pitosga arrumadita,

Por isso, o meu maior Spring Cleaning é nas doses de beleza guardados no gabinetes compartimentados do closet e WC.
Ora bolas para estás dúvidas de arrumos, um creme corporal de côco asiático vai bem com sombra abóbora-cajú francesa?

domingo, março 21, 2010

És pátio do meu sorriso

Au troisième temps de la valse nous valsons enfin tous les trois
au troisième temps de la valse il y a toi
y a l'amour
et y a moi

(La Valse à Mille Temps - Jacques Brell)

quinta-feira, março 11, 2010

terça-feira, março 09, 2010

Rumores d'época

Dizem por aí que as amendoeiras já estão em flor, será que este boato aplica-se à saudosa delicada Primavera?

terça-feira, março 02, 2010

Caprichos Gourmet

Gosto de chegar a casa tarde, ter o cuidado simples fazer um caldinho com coentros e salsa e largar um punhado de nomes de animais, pessoas, localidades e sentimentos. Adoro brincar com a sopa de letrinhas no final de noite enrolada numa manta polar negra aconchegante.

Latitude Norte-Sudeste

domingo, fevereiro 28, 2010

Amor é

Um dia destes quando regressares levo-te a jantar lá a casa. Se tiver bom tempo até esplanamos sem mosquiteira.

sábado, fevereiro 27, 2010

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Turn up the static now, weather’s getting hotter with you near


385 dias de summerson (sem chuviscos ou neblinas matinais).
Não entendo porque não transmitem pelas notícias nacionais, será para não causar alarmismos de global (K) warming?

terça-feira, fevereiro 16, 2010

Raios, Raios, Raios & coriscos que a chuva não termina.

O vizinho da frente já não sabe o que dizer à namoradinha que lhe pede a lua para se enamorar.
Enquanto isso, mascara-se de conduta para ser fluido.

domingo, fevereiro 14, 2010

Babuseiras de namorada

Hoje é dia de S. Valentim, mas desde há muito devido a pressões sociais que, optei por comemorar o São Valentino, garota sabe que a haute couture é melhor que um cartão animado dos CTT escrito à pressa.
Loja das Meias com ela, precisa de um regalo novo.

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Segreda-me

De pele alucinada e sorriso pendurado num olhar brilhante, costuro a minha alegria.

(Não sobrevivo sem abraços mas raramente os peço.)

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

E no entanto ela move-se com esperança


Há um sinistro corte e costura, do sopro quente dele.
Pisco o olho inteiro, unido a mim, adormecido como um só momento.

sexta-feira, janeiro 29, 2010

Da Graça à Berta


Villa Bertha ou Vila Berta:

Arquitecto | Construtor | Autor
Joaquim Francisco Tojal (a designação da Vila provém do nome da filha deste industrial).

Cronologia
1887 - aquisição da Quinta do Fidalgo, na encosta da Graça, por Joaquim Francisco Tojal; 1902 / 1908 - construção do conjunto.

Tipologia
Bairro, vila operária. Arquitectura civil residencial, ecléctica.
A vila foi projectada e construída por Joaquim Francisco Tojal. A sua construção não se destinou a albergar operários pertencentes a qualquer unidade fabril, mas direccionou-se a estratos da pequena burguesia. As construções apresentam uma assinalável qualidade formal e de materiais, comparativamente às restantes vilas.


Assim, a Vila Berta insere-se mais no domínio do património industrial pelos materiais utilizados, como o ferro e os azulejos de estampilha, resultantes de um período de laboração industrial, do que pela inclusão nos protótipos das habitações operárias, apesar de se caracterizar por uma rua interna, não se estabelecendo o contacto directo com a rua principal.

Descrição
Habitação operária desenvolvendo-se em 2 bandas, separadas por rua interior e com tipologias distintas: a) do lado Leste, edifícios de 2 pisos e cave (funcionando como habitação colectiva - 2 fogos por piso e escadas comuns; os telhados das várias unidades, a 2 águas, formam uma unidade longitudinal) ; b) do lado Oeste, edifícios de 3 pisos, em que o 1º é afastado e separado em altura do plano da rua mediante terraço ajardinado (funcionando como habitação colectiva - 2 fogos por piso e escadas comuns; o 2º piso apresenta, sobre cada uma das zonas de acesso, plataformas de planta quadrada apoiadas em pilares de ferro fundido implantados à face da rua). O acesso principal ao interior do bairro processa-se por passagem que se abre, entre 2 portas vulgares, no piso térreo do prédio de rendimento nº 55 - 59 da R. do Sol à Graça. O nome Villa Bertha é legível num registo de azulejos com decoração floral Arte Nova.







domingo, janeiro 17, 2010

Pasmaceiras


Inteligente, palerma, culta, moderna, enamorada, sofisticada, emocional, independente, decidida, trenga, perspicaz, cafona, meiga, brega, de sorriso aberto caracteriza-se num Domingo cheio de graça.

sábado, janeiro 16, 2010

Cherry of my eyes, the sun of my heart

Há quem diga não é preciso dizer "Eu Amo-te!" mas sim, ter a capacidade de o poder dizer sem expressar.
Para mim, é um monte de lero-lero social emocional! Quando se sente, a capacidade que temos é tentar não dizê-lo sempre, para que não se quebre o efeito.

terça-feira, janeiro 12, 2010

Aforismo de cebolada ou capricho meu (2)

Há dias que a minha modéstia cobra horas extra.

Sou do tempo,

Que comprar um vestido resolvia muito do meu coração destroçado, talvez seja por isso que no meu closet o estado Alerta Laranja de excesso nunca cesse. Felizmente agora, compro para me sentir mais bonita e quando ela está de birra exagera largamente na dose recomendada à bolsa com linhos, cetins e algodões.
Vou lá compreender esta minha cabeça grande de gaja?


sexta-feira, janeiro 08, 2010

Pio do mocho branco na manhã azul

Há qualquer coisa em mim que se esquadrinha, como se de repente fosse entrar num mistério enorme omisso. Fecho os olhos e imagino o lado irracional onde tantas vezes se cristalizaram os momentos mais profundos e únicos. Nesta glória imensa e com a brisa doce fria de Janeiro, cheia de flores d'inverno com cheiro típico, marco a marcha andante para o final da semana num puro conforto. Tenho por hábito entrar assim a voar nos meus pensamentos deligentes, onde às vezes oiço o pio do mocho branco na manhã azul no parapeito da janela dos salões.