quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Rola ... e os seu conselhos de " Sex & the City"




Para mim a felicidade de ter uma amiga é grande, pois ter amigas sempre foi difícil, quase sempre há confusões e puros mal entendidos, nem sequer falo da competição idiota que todas encaram como desafio. Sendo que para mim, com meu feitio especial ainda é mais problemático e que torna-me uma gaja que tem gajos como amigos.
Na verdade começo sempre por desconfiar, mas no final encaro como pura naturalidade... Este sentimento começou a dissipar-se com o chegar dos 30 e de ter de refazer por completo o meu naipe de amigos. Sendo que há 4 anos para cá tenho tido os ditos "encounters" femininos, há várias donzelas que me encantei por não cobrarem nada de mim, respeitam-me pelo que sou e ponto final. Dentro da gang, há sempre assunto entre as gajas, e mesmo que a Sumares ache que sejam conversas futeis (que muitas não são), os assuntos são sérios, chatos, divertidos ou úteis.... Não é necessário ser homem, para que a conversa fique mais interessante. Nem sequer falo da ideia estupida das mulheres irem em bandos para a Toillete, pois isso eu também nunca suportei... só em causo de fins terauticos é que isso se justifica.
Certo é que conheci muita garina e alegrou-me. Saber que não estou sozinha e que não sou assim tão intransigente como algumas me pintam... mas a surpresa máxima, e desculpem as restantes, que estão também no meu coração ( e não ... não, vou começar a cena típica de bater no fundo do coração... como aconteceu nos anos do meu querido Petzi... pois aí personalizei a todas o quanto gosto....), mas tenho a dizer que a Rola é imparável, e incomparável...
Se há pessoa que pensa como eu, que me identifico é esta senhora, da qual não me inibo de dizer que admiro. Mais certo é alguém que sei que quando confio assuntos trivias ou pessoais, logo começo a ouvir os diversos discursos em que me delicio, pois, quase todos terminam numa gargalhada geral!
Enfim, se este blog é acusado de diário feminino sentimentalóide de uma trintona solteira ... desculpem, divorciada que exprime constantemente o seu estado de espirito, então deixem-me dizer que a Rola é a minha Carrie do "Sexo e a Cidade"... há momentos que tenho a certeza que estou a viver um episódio típico,.... Fabi sendo a Charlote, a coerente e a única que racciocina até ao fim e eu uma Miranda /Samantha stressada ... só é pena que o realizador não apanhe os melhores momentos.... pois mais personagem existem.
Isto tudo, porque hoje em breves momentos... num sobe e dexe do MSN (típico da Rola) soltou o seguinte conceito/ conselho que tinha lido em tempos não sei aonde: "...as mulheres podem fingir um orgasmo, mas os homens fingem uma relação inteira" e lá ficamos em offline (típico) a dissecar estas palavras e a comentar s usos e costumes de afins...
Onde é que poderia ter amiga assim?
São breves instantes que valem ouro , ficar com dores no maxilar de rir de boca bem aberta, até estalar!!!! Pode ser lamecha ... assumo! Que me perdoem... mas é o que sinto!

5 comentários:

Sumares disse...

Comentário 1

Pronto... está visto! Vão-se comer!

Pobre Fucking... já eras...

Sumares disse...

Comentário 2

Querida Kat.

Gosto destas dedicatórias. Gosto que as pessoas demonstrem que gostam umas das outras! Um elogio (seja ele qual fôr) nunca é demais. E o que a mim poderia ser medonho, à Rola, dizeres-lhe que é parecida com a minorca chata, pseudo-conselhereira-sentimentalista, do Sexo & Cidade, será certamente um grande bom-bom ( melhor só mesmo a Madonna). E coitadita...ela até merece uns elogios...

Gajas! Felizmente, parece-me que a tendência de as mulheres não serem amigas umas das outras, está-se a dissolver. A diluir nesta sociedade em que cada vez mais, os gajos estão mais parecidos com as gajas, e as gajas mais parecidas com os gajos. As mulheres estão cada vez mais práticas e menos “chatinhas”, estão a tornar-se menos “picuinhas” e a não ligarem nenhuma a pormenores, que antes seriam “graves problemas” relatados até a infinidade umas com as outras e claro, nas costas da “pecadora”.

Quanto à conversa das mulheres ser “chata” e “fútil”. A mim chateia-me o tempo que as mulheres passam a falar de gajos, dos namorados, dos namorados das outras, das suas relações e das relações dos outros. E a maneira como falam delas. E nhã, nhã, a gaja fez-lhe isso, e a gaja fez-lhe aquilo, e ela isto, e ela aquilo. E depois a gaja, para as gajas, é sempre a má da fita. Sempre! As mulheres, a comentarem a relação do casalinho amigo, culpabilizam sempre o ente feminino. Ou é mandona, ou tem mau-feitio, ou “não lhe dá liberdade”, “não o deixa fazer nada”, “ele é diferente (sempre para pior) quando está ao pé dela”, etc, etc. Ele, no máximo, “está sempre a galar outras gajas” ou “não a ajuda” e rapidamente é perdoado.

Depois temos as “regras” impostas (sem serem faladas) pelas gajas, para outras gajas. Se vais jantar a casa de um casalinho amigo é bom que “ajudes”. Ora a pôr a mesa, ora a lavar a louça. O teu respectivo se não levantar o cu ( e estiver a noite inteira a jogar playstation) ninguém se importa, nem ninguém nota. “Ela” está desgraçada! “Ele”, se “ajudar” é um querido! “Ela teve muita sorte com ele”!!

Outra seca é ir com algumas gajas para alguns sítios. Foda-se! Vocês (bem, “vocês” é lindo! Parece que sou um gajo!!) são umas chatas! Se vamos passar 3 dias fora é preciso levar 3 pares de sapatos? É preciso levar 3 malas? É preciso estarem peocupadas onde vão tomar banho? Onde vão secar o cabelo??? Se há bichos, se vai ter frio e pior, “Quem é que vai lá estar”? E aqui entramos no campeonato mais perigoso, mais temido e mais fatal: que gajas vão estar não sei onde? Bom... se fores gira ou tiveres piada tens, logo à partida, metade das gajas com vontade que “não apareças muitas vezes”. Se já tiveres dado uma queca com um dos gajos, e se esse gajo fôr namorada da “líder” da gang estás igualmente fodida. Se “Ela” achar que tu queres comer o seu namorado, ou temer que o seu namorada te quer comer, fodida na mesma. A tua única safa será apareceres com namorado e falares pouco com os gajos, ou, rapidamente, cativares a líder da gang e esperares receber o seu “amén” tipo padrinho.

E pronto... é disto que não gosto. E não é assim que sou... por mim todos são bem recebidos e se não o forem, foi porque, ou estava com um ataque de mau-feitio, ou porque desatinei com alguma coisa. Eu não tenho cá medo que me roubem o namorado. Se se fizerem ao meu namorado levam nos cornos; se ele proporcionar essa situação, apanham os dois! Se fôr “trocada”, não faz mal, arranja-se outro! E quanto mais amigas giraças tiver mais facilmente o arranjo! Miúdas acordem. Os gajos é que têm que estar preocupados em não serem trocados. Possas! Uma pessoa sai á rua, dá uns sorrisos, arranja logo mil gajos. Eles é que não!

Agora a grande frase: "...as mulheres podem fingir um orgasmo, mas os homens fingem uma relação inteira"? E as mulheres não, queres ver? As mulheres são prós em fingirem nas relações só com medo que ela acabe! E quanto aos orgasmos. Mas quem é que anda para aí a fingir orgasmos?? Quem?? Garanto-vos que nunca fingi um orgasmo! Alguém por favor me explica a lógica dessa merda?? O máximo, por piedade, não comento o quanto fraquinho ele foi. E, e,... já é bem simpático da minha parte!

Ai... gajas...gajas... como é que eles nos aturam...

Anónimo disse...

KAT? CHUAC!!

pizzi disse...

É só para dizer que este ultimo comentário é da pacóvia!!A minha sócia percebe boé de novas tecnologias!!:)

Kat disse...

Sumares... escreveste um post num comentário??? Raivosa como sempre!