sexta-feira, junho 02, 2006

Há mar, tanto mar...


Ao ouvir Stuart Staples, lembro-me sempre da pessoa mais importante emocionalmente da minha vida... o meu grande companheiro de confissões, alegrias e encantamentos, sabes que irei estar ao teu lado sempre que possível, a respeitar a tua palavra e ouvir a tua razão, o cheque de 1000 euros já cá canta, só faltas tu!

Hey, cota... obrigado pela tua generosidade, continuas com velho charme de sempre... Irresistível!

2 comentários:

Anónimo disse...

Ninguém entende esse teu divórcio, continuas a ser a eterna namoradinha do teu Ex.

El ducky disse...

Imenso mar...horizonte de uma distância que não afasta, visão enamorada da verdadeira dimensão deste amor. Aquele que é declamado pelo vento em estrofes de inesgotável quietude. Sentir inpoluto este que dá sentido à vida. Etérea balada de emoções, empatia que jamais o tempo calará. Nesta doce condenação ....dois corpos, uma só alma, celebram a vida. SIM!ATÉ À ETERNIDADE!!!!
E aqui neste mar, onde mora a saudade, no desejo do reencontro, invoco novamente a voz do poeta e dela faço minha, para dizer :

“Mar adentro, mar adentro.

E na leveza do fundo
onde os sonhos se tornam realidade
juntam-se duas vontades
para cumprir um desejo.

Um beijo acende a vida
com um relâmpago e um trovão
e, numa metamorfose,
o meu corpo já não é o meu corpo
é como penetrar no centro do universo

O abraço mais inocente
e o mais puro dos beijos
até vermo-nos reduzidos
a um único desejo.

O teu olhar e o meu como um eco
repetindo, sem palavras,
mais adentro, mais adentro
até ao mais além de tudo
pelo sangue e pelos ossos.

Mas acordo sempre
e sempre desejo estar morto
para continuar com a minha boca
enredada no teu cabelo. “