segunda-feira, agosto 07, 2006

Killing Moon

Foi a experiência mais encantadora que tive desde há anos, pelo menos que me recorde. Sem explicação, sem porquês, sem pressões... apenas ser. Ser e deixar ser...
Assustadoramente diverti-me com a simplicidade e a cumplicidade de pequenos GRANDES momentos que irão ficar na memória como únicos.
Agradeço a amabilidade, paciência e exaustão de sentidos, mas há elos quando entranhados no inner self custam a largar!
"Good night, good night! Parting is such sweet sorrow, that I shall say good night till it be morrow..."
Rom & Jul, Act II, Sc.2

6 comentários:

Anónimo disse...

Pronto, mais um post que não se sabe onde vem, porque vem e para que vem... aparece do nada como um cogumelo, ou isto não fosse um blog vegetal!

revenge disse...

É isto, não se entende, agora já citas Shakespeare...
Deve ser dos 30 graus noctívagos, alucinas por completo!

bode campones disse...

Kat, com o calor transformas-te em Julieta!?

Totte casablanca disse...

Kat, não andas a trabalhar demasiado?
Até neste fim de semana foste virtual!
Estás tão lamechas ultimamente, de certeza que não estás grávida?

Kinder Surpresa disse...

Atenção, um cogumelo não é um vegetal, é um fungo.

Cuga disse...

We are such stuff as dreams are made on, and our little life
Is rounded with a sleep.
William Shakespeare: The Tempest, IV; i; 156.